(11) 4195-4500 | (11) 96447-1266      contato@drorlandofreitas.com.br    |   

Coceira vaginal: você sabe o que pode ser? Veja as situações mais comuns

A coceira vaginal é uma das queixas mais comuns no consultório. Ela pode acontecer em mulheres de qualquer idade, mesmo nas que não são sexualmente ativas.

Apesar de serem frequentes, o prurido na vagina é sinal de que alguma coisa não vai bem. A coceira nas partes íntimas pode ser desde alergia a algum produto até infecções sexualmente transmissíveis.

Principais causas da coceira vaginal

Candidíase

Esta é provavelmente a causa mais comum da coceira vaginal. A candidíase geralmente é causada pelo fungo candida albicans, que vive naturalmente na flora vaginal em pequenas quantidades. Em geral, ele se prolifera em momentos de estresse ou de baixa imunidade do corpo, dando origem à candidíase.

Estima-se que 3 a cada 4 mulheres terão pelo menos um episódio da doença na vida. Ela costuma vir acompanhada coceira e ardência na região da vulva (parte externa) e da vagina (parte interna), sintomas que são agravados durante a micção ou a relação sexual.

A candidíase também pode apresentar vermelhidão na região da vulva e o corrimento de aspecto leitoso e sem odor.

Esta é uma doença que pode ser transmitida pelo ato sexual, mas não é considerada uma infecção sexualmente transmissível (IST) já que mulheres sexualmente inativas podem desenvolvê-la.

Gonorreia

Uma doença sexualmente transmissível muito comum, responsável por mais de 200 milhões de casos por ano em todo o mundo.

O sintoma mais comum é o corrimento vindo da uretra, que é mais fácil de ser percebido nos homens. Nas mulheres, o corrimento vaginal (e não o uretral) só surge se houver infecção no colo do útero, o que não costuma ser tão comum. Nestes casos, os sintomas incluem coceira, dor durante a relação sexual, corrimento purulento e, em caso de inflamação no útero, pode haver escapes de sangue.

Clamídia

É a doença sexualmente transmissível mais comum do mundo, apesar da maioria dos pacientes permanecerem sem sintomas. As mulheres costumam manifestar corrimento vaginal, coceira, dor durante o sexo, sangramento vaginal e dor ao urinar. Esses sintomas são muito parecidos com os da gonorreia, e é impossível distingui-los sem avaliação laboratorial do corrimento vaginal.

Alergia a produtos químicos

Uma outra causa bastante comum da coceira nas partes íntimas é a alergia a algum produto químico. Muitas vezes, pode ser um produto usado no dia a dia, como o sabonete íntimo, o sabão em pó ou a marca do papel higiênico.

Também podem desencadear alergias: preservativo, contraceptivos de uso vaginal, cremes vaginais, lubrificantes e tecidos.

Higiene íntima inadequada

Consideramos que a higiene íntima é inadequada tanto nos casos de má higiene ou de higiene excessiva, já que esses extremos podem facilitar o surgimento de infecções que causam coceira e inflamação vaginal.

A falta de higiene favorece a proliferação de bactérias e fungos que causam infecções e irritações. Nas crianças, a falta de higiene adequada após urinar pode resultar em assaduras.

Por mais controverso que possa parecer, o excesso de limpeza na região íntima também não é benéfico. Além do risco de irritação pelo uso de produtos, existe também o risco de eliminação da flora bacteriana natural da vagina, que é um fator de proteção contra bactérias estranhas.

De uso muito comum, a ducha vaginal é altamente contraindicado, sendo uma das razões que podem levar à coceira e infecção na vagina.

Doenças da pele

Algumas doenças de pele acabam por atingir a região genital, como eczema, micoses de pele, psoríase e urticária, causando coceira vaginal. Nesse caso, não há presença de corrimento.

Em algumas doenças, os sintomas podem ser bem semelhantes. A melhor forma de diferenciar a causa é através do exame clínico, feito pelo ginecologista, além da coleta de material da vagina para análise. É importante que esse protocolo seja seguido para que a paciente receba o tratamento correto. A automedicação é totalmente contraindicada, já que os remédios para fungos não funcionam quando o caso é de infecção bacteriana, por exemplo. Portanto, não deixe de procurar ajuda médica quando suspeitar dos sintomas!

Fonte: Medical Site

Agende sua consulta!
Orlando José de Freitas - Doctoralia.com.br