(11) 4195-4500 | (11) 96447-1266      contato@drorlandofreitas.com.br    |   

Quais doenças o Papanicolau pode detectar?

O Papanicolau (também chamado de colpocitologia oncológica e popularmente conhecido por preventivo) é um exame ginecológico extremamente importante, pois rastreia a presença de lesões pré-malignas que, se não forem tratadas a tempo, podem resultar em câncer.

O Papanicolau deve ser realizado pelo ginecologista periodicamente – geralmente uma vez ao ano. Entretanto, infelizmente, uma proporção de 45,1% das mulheres brasileiras não faz o exame preventivo por não o considerar necessário. Ainda, 6,1% das mulheres de 25 a 64 anos nunca fizeram este exame (dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, em parceria com o Ministério da Saúde).

Por que este exame é importante?

Por ser um exame de natureza preventiva, o Papanicolau detecta a presença de alterações nas células do colo do útero que, com o passar do tempo, podem se tornar cancerígenas. Por isso, realizá-lo regularmente é uma importante estratégia de prevenção e detecção precoce do câncer do colo do útero – 3º tumor maligno mais frequente na população feminina e 3ª causa de morte de mulheres por câncer no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Identificar a doença em sua fase inicial, antes mesmo do surgimento dos sintomas,possibilita chances maiores de cura.

Quais doenças pode detectar?

Além de identificar lesões precursoras do câncer do colo do útero e da infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), o Papanicolau indica a presença de infecções ginecológicas – como a candidíase – que precisam ser tratadas.

Como é feito?

O Papanicolau é indolor (pode causar apenas um leve desconforto), simples e rápido. Ele pode ser feito por mulheres grávidas e não requer um preparo específico, mas é recomendável não estar menstruada no dia, evitar ter relações sexuais um dia antes e não usar cremes ou lubrificantes no local nas 48 horas anteriores ao exame.

Para realizá-lo, com a paciente deitada em posição ginecológica, o médico introduz um espéculo (instrumento utilizado para afastar as paredes da vagina, conhecido como “bico de pato”) e examina o interior da vagina e o colo do útero. Em seguida, o ginecologista coleta amostras do tecido uterino com a ajuda de uma espátula e o coloca em uma lâmina ou frasco, para que o material seja enviado ao laboratório para análise.

O Papanicolau poder ser realizado em postos ou unidades de saúde da rede pública.

Por que se chama “Papanicolau”?

O nome é uma homenagem ao seu criador, o médico grego George Papanicolaou, que em 1928 notou que apareciam células malignas no esfregaço de mulheres com câncer cervical.

Sobre o câncer do colo do útero No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), excluído o câncer de pele não melanoma, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo mais frequente entre as mulheres e a terceira causa de morte feminina por câncer no Brasil. Ainda segundo o órgão, o câncer do colo do útero é o segundo mais incidente nas regiões Norte (20,48/100 mil) e Nordeste (17,59/100 mil) e o terceiro na Centro-Oeste (16,66/100 mil). Já na região Sul (14,55/100 mil) ocupa a quarta posição e, na região Sudeste (12,93/100 mil), a quinta posição.

A doença é resultante da infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), que ocorre por relação sexual. A vacinação contra o HPV, o uso de preservativo durante as relações e a realização do exame preventivo regularmente são importantes formas de prevenção do câncer do colo do útero.

Consulte seu médico ginecologista periodicamente e mantenha os exames de rotina em dia.

Fonte: Medical Site

Agende sua consulta!
Orlando José de Freitas - Doctoralia.com.br